Bem-vindo a Camisaria Augusto, camisas feitas sob medida, tradição e qualidade

Há mais de 40 anos no mercado, somos uma das mais tradicionais camisarias sob medida de São Paulo com um atendimento altamente especializado na loja ou em domicilio.

Tudo é feito com muito cuidado e carinho com o objetivo de levar conforto e elegância a nossa distinta clientela.

Mais que bem vestidos, eles podem perceber que por trás de cada camisa, cada detalhe, cada produto há uma equipe consciente e comprometida com o que faz.

Algodão Pima – Por que é tão bom?

Quem já teve contato com alguma peça feita com algodão Pima sabe que é indiscutível seu toque suave e macio em relação a algodões comuns. É considerada pelos especialistas como o melhor algodão do mundo, mas o que faz dele um algodão tão superior?

Algodão pima flor

Produzido próximo à Cordilheira dos Andes, o famoso algodão Pima Peruano possui as fibras individuais mais longas e finas que qualquer outro algodão. Essas fibras longas e sedosas produzem um tecido extremamente macio e resistente a rasgos, desgaste, enrugamento e ao desbotamento. Um tecido com este algodão também promove fácil manutenção, sendo possível lava-lo na máquina de lavar sem que haja formação de bolinhas, mesmo após muitas lavagens.

Veja essa comparação entre o algodão Pima e um algodão comum:

Algodão pima vs algodão tradicional

Algodão Pima x Algodão Egípcio

Tanto o algodão Pima quanto o Egípcio oferecem qualidade premium, pois carregam as mesmas características e, inclusive, o nome científico “gossypium barbadense”. Geralmente, o algodão pima é direcionado para tecidos de camisetas, lençóis e pijamas, já o algodão egípcio é a escolha perfeita para camisas sociais. Entretanto é necessário tomar cuidado e verificar suas origens, pois infelizmente existem diversos produtos com algodão que carregam nome de “pima” ou “egípcio”, sendo apenas uma mistura com algodão inferior. A situação com o algodão egípcio é ainda mais problemática, pois um algodão comum cultivado no Egito pode ser tecnicamente rotulado dessa forma, sem necessariamente ser o algodão de fibras longas que apresentamos.

Para identificar se o produto que você está comprando realmente é feito com algodão pima ou egípcio, verifique se há indicação na peça deste algodão especial, verifique também a maciez, ela deve ser extremamente agradável ao toque. Com isso você estará adquirindo um tecido legítimo e usufruirá de todas as suas qualidades.

Camisetas e polos de algodão pima Augusto Camiseiro

Gostou do conteúdo? Conheça então nossas polos e camisetas feitas de algodão pima e desfrute de todos os benefícios que este algodão oferece. Disponíveis a pronta entrega!

Quais os tipos de colarinho para uma camisa sob medida?

É senso comum que o colarinho é a parte mais importante de uma camisa. Sem dúvida é o item mais complicado e de maior dificuldade na fabricação. Agora, uma coisa é certa: o colarinho é que dá personalidade à camisa.

 

E o que pode variar em um colarinho?

  1. Em primeiro lugar a consistência, mais rígida ou mais mole.
  2. Depois o ângulo das pontas , mais aberto ou mais fechado.
  3. E ainda, a altura tanto na parte de trás como o tamanho das pontas, além da altura do pé (onde vai o botão e a casa).

Existem ainda outros detalhes como botões nas pontas ou presilhas. Ou até costuras e tirinhas de tecido sobrepostas. Tudo bem. E o que fazer com com tanta opção?
Em primeiro lugar criar seu próprio estilo. Mas vamos dar algumas dicas e direções para isso.

  • Consistência
    Normalmente a consistência mais rígida se aplica a camisas para usar com gravatas ou ainda a camisas mais casuais para uso em ambientes de trabalho. Já a consistência mais mole é perfeita para camisas de linho ou mais despojadas e também quando se busca mais conforto.

    Camisa de Linho com colarinho mole:
    Camisa de Linho com colarinho mole.
    Camisa com colarinho mais rígido:
    Camisa com colarinho mais rígido.

  • Ângulo
    Muitas lojas e camiseiros gostam de colocar nomes nesse ângulo dos colarinhos. Não gosto muito dos nomes mas temos um “causo” curioso nesse sentido . No final da década de 70 um cliente pediu ao nosso fundador Augusto que copiasse um colarinho usado pelo Príncipe Charles que era com um ângulo bem aberto. Na época praticamente todos os colarinhos eram desenhados com ângulos mais fechados (clássicos), logo, um colarinho como esse seria muito diferente e moderno. Essa foto do príncipe ficou com Augusto por muitos anos e esse desenho acabou incorporado às possibilidades de colarinhos da Camisaria (pode parecer absurdo, mas foi um diferencial importante dar essa opção aos clientes, já que a concorrência não usava esse desenho). O sucesso desse colarinho acabou emprestando o nome de colarinho do príncipe para esse estilo. E até hoje usamos esse nome.
    Mas vamos ao que interessa. O ângulo do colarinho serve para harmonizar seu biotipo, tanto no que se refere à formato de rosto, como altura e peso. Além do tipo de nó de gravata que usa.
    Os ângulos mais abertos ficam muito bons em rostos e corpos mais longilíneos / retangulares. E ainda com nós de gravatas mais encorpados. Já os ângulos mais fechados (mais bicudos) se adaptam bem aos rostos mais redondos e corpos mais gordinhos, alongando a silhueta. E ainda aos nós de gravata menores.
    Os ângulos mais abertos ficam muito bons em rostos e corpos mais longilíneos / retangulares. E ainda com nós de gravatas mais encorpados. Já os ângulos mais fechados ( mais bicudos) se adaptam bem aos rostos mais redondos e corpos mais gordinhos, alongando a silhueta. E ainda aos nós de gravata menores.

    Colarinho de ângulo aberto usado pelo Príncipe Charles:
    Colarinho de ângulo aberto usado pelo Príncipe Charles.
    Colarinho de ângulo médio:

    Colarinho de ângulo médio.
    Camisa com colarinho de ângulo mais fechado:

    Camisa com colarinho de ângulo mais fechado.

  • Altura
    A altura do colarinho é usada para se harmonizar com a altura do seu pescoço. Pescoços mais longos ou com muitas rugas pedem um colarinho mais alto na frente . Já pescoço mais curto, normalmente associado a um diâmetro maior pede um colarinho mais baixo na frente.
    O tamanho das pontas normalmente segue um pouco a moda, além dessas dicas acima. Hoje as pontas estão um pouco menores mas há uns 10 anos atrás eram enormes. Aqui também muitas pessoas tentam imprimir uma marca própria nesse quesito . Um colarinho maior empresta uma certa imponência e eventualmente arrojo à sua imagem. Um colarinho menor, modernidade.

    Colarinho mais alto e fechado:
    Colarinho mais alto e fechado.
    Colarinho mais alto e aberto:

    Colarinho mais alto e aberto.
    Colarinho mais baixo e fechado:

    Colarinho mais baixo e fechado.

  • Detalhes
    Aqui o céu é o limite, mas vamos comentar apenas sobre os botõezinhos na ponta, o buttondown. Criado para que os cavaleiros que participavam de provas equestres não perdessem a elegância com colarinhos “voando”, acabou sendo incorporado na moda esportiva. E se transformou em interessante opção para camisas mais casuais elegantes já que deixa o colarinho mais em pé próximo ao pescoço quando está aberto. A moda tentou “assassinar” esse estilo nesses últimos 10/20 anos, mas agora tem voltado com bastante força. Então não tenha medo de usar em camisas casuais.

    Colarinho com botões nas pontas:
    Colarinho com botões nas pontas.

Sempre procuramos aconselhar um colarinho que harmonize todos esses aspectos: biotipo, estilo, moda, etc. Mas as vezes o que importa é só um desejo seu ou um gosto.

Comente o que achou e qual desses colarinhos você mais utiliza!

Quer saber também como escolher os punhos da sua camisa? confira agora neste post.

Guia masculino – Como se vestir para as festas de fim de ano

Já estamos em dezembro e o natal já está chegando, e junto com ele vem todas as confraternizações de fim de ano (amigo secreto, ceia de natal, réveillon, etc).

Ainda está na dúvida do que vestir nessas ocasiões? Preparamos um guia de estilo para te inspirar em cada uma delas!

Confraternização na empresa

Já se tornou tradição em todo fim de ano a realização de um amigo secreto nas empresas para a confraternização com os colegas de trabalho. Propomos então duas opções de looks compostos por polo, calça de sarja e blazer.

  • A polo branca de algodão pima + blazer de linho trazem leveza, um look suave e com todo o conforto em dias quentes. (Confira o look completo clicando aqui.)
  • Já esta combinação com polo preta + blazer de malha belga, se faz uma ótima escolha para a confraternização na empresa durante a noite. (Confira o look completo clicando aqui.)

 

Confraternização em família

Para a ceia de natal em família, uma boa opção é a combinação de peças mais casuais, que mantenham um bom gosto e garantam conforto.

  • Look com camisa de algodão + calça de sarja e sapato mocassim bege. (Confira o look completo clicando aqui.)

Confraternização na praia ou no campo

Para quem escolheu passar o fim de ano longe da cidade ou no litoral, criamos essa opção de look perfeita para utilizar em dias quentes.

  • Look com camisa de linho branca + bermuda e sapato driver. (Confira o look completo clicando aqui.)

Confraternização de ano novo (Réveillon)

O réveillon é uma noite muito especial que irá marcar o começo de um novo ano, com novos desafios e novas conquistas. Criamos duas opções de look para esse momento tão especial:

  • Look composto com nossa camisa branca xadrez + blazer de linho azul + calça de sarja e sapato mocassim bege. (Confira o look completo clicando aqui.)
  • Look composto com nossa camisa branca xadrez + blazer de linho cru + calça de alfaiataria e sapato Tassel loafer de couro. (Confira todo o look clicando aqui)

O que achou dos looks? Nos diga nos comentários. Conte-nos qual a sua escolha para passar as festas de fim de ano!

Nós do Augusto Camiseiro desejamos um natal especial e um ano novo alegre para todos!

Qual punho escolher para uma camisa sob medida?

A camisa social masculina é a chave do guarda roupa de todo homem. É um símbolo da elegância masculina e o primeiro item que aparece no campo visual. Ao fazer uma camisa sob medida, esse homem demonstra todo cuidado que tem com sua imagem.

No processo do sob medida, você pode escolher o colarinho, punho, monograma, botões e caimento. Resumindo: VOCÊ ESCOLHE TUDO.

Neste post, falaremos sobre os tipos de punho para sua camisa e qual combina mais com seu estilo.

Os diferentes tipos de punhos

  • Punho simples redondo

    O punho simples redondo é um tradicional em nossa camisaria. Possui apenas um botão e comprimento em torno de 7cm, porém pode variar de acordo com o comprimento do braço e desejo do cliente. É uma boa escolha para camisas casuais e pouco formais, por ser um punho básico.
  • Punho simples chanfrado

    O punho simples chanfrado, assim como o simples redondo, possui apenas um botão, porém com chanfros. É um punho moderno e tradicional que facilita o uso com a manga dobrada. É também facilmente encontrado na maioria das camisas prontas.
  • Dois botões arredondado

    O punho dois botões arredondado traz um ar um pouco mais elegante para a camisa, sendo um punho com dois botões e possuindo um comprimento de 7 cm ou 8 cm, que pode ser alterado conforme o gosto do cliente. É possível optar por colocar apenas um botão, tornando este punho realmente diferenciado e difícil de ser encontrado. É um intermediário entre redondo e chanfrado, uma ótima pedida para eventos mais formais.
  • Dois botões chanfrado

    O punho de dois botões chanfrado segue a mesma ideia do simples chanfrado, porém com dois botões e com seu comprimento em torno de 7 cm a 8 cm. É um punho considerado “simples e tradicional” que pode ser utilizado nas mais diversas ocasiões.
  • Punho Francês

    O punho francês é uma ótima escolha para quem deseja um visual diferenciado e que esteja disposto a utilizar de um punho mais de volumoso. Sua construção mais detalhada com visual semelhante a um colarinho o torna muito elegante.
  • Punho Duplo

    O clássico e elegante punho para abotoadura. É considerado um dos mais sofisticados punhos, pois é necessário o uso das abotoaduras para prendê-lo, o que permite a que o usa mostrar toda sua personalidade. As abotoaduras podem variar das mais simples às verdadeiras joias.

  • Punho Conversível

    O punho conversível é um tipo de punho pouco conhecido, mas que traz uma enorme versatilidade, pois pode ser utilizado tanto com botão quanto com abotoadura. É um punho feito para que quando utilizado com abotoadura, o botão fique escondido na parte interna de seu acabamento. Uma ótima opção para quem quer usar abotoadura, mas não quer ficar preso no uso do acessório.

Estes são os principais punhos feitos em nossa camisaria.
No sob medida você tem a liberdade de fazer tudo do jeito que você quer. É possível, por exemplo, deixar o punho do relógio com mais folga, alterar o comprimento, largura e todas as configurações para que tudo fique perfeito e se encaixe no seu gosto. Quer inventar um punho totalmente diferente? Vamos lá! Pode nos dizer sua ideia que faremos para você.

Escreva nos comentários qual deles você mais gostou ou qual utiliza com mais frequência!

Como os tamanhos de blazer funcionam

Geralmente quando vamos comprar um blazer ou costume, principalmente pela internet, nos deparamos com diversos tamanhos e tipos. 46M, 48S, 50C… Afinal, como saber o seu tamanho de blazer correto?

Compreendendo os tamanhos dos trajes

Antes é necessário entender que blazer, costume e terno NÃO são a mesma coisa.

  • Um terno é composto por um paletó, calça e colete. Formando um traje de três peças.

  • Costume é um traje formado pelo paletó e a calça (todos com o mesmo tecido).

  • Já o blazer é a peça única onde se pode usar com diferentes tipos de calças, por conta disso é considerado mais casual.

Sendo assim, se você for comprar um costume ou terno é necessário se atentar também ao tamanho das demais peças.

A etiqueta de um blazer incluirá um número (normalmente entre 46 e 62) e uma ou duas letras. Os números representam o tamanho do peito em centímetros dividido por dois, sendo assim, um blazer tamanho 48, caberia bem em uma pessoa com a medida de peito de 96cm. Porém é necessário saber que essa numeração pode ser alterada nos EUA ou Europa, por utilizarem outras unidades de medição.

A letra logo após a numeração representa o corte da peça e como ela se comporta com o corpo, podendo ser:

  • S (Slim) onde o terno mantém um estilo mais contornado ao corpo de forma justa. É considerado um tipo de corte jovial e atemporal. O blazer terá uma cintura afilada, abraçando você em todos os lugares, e os punhos não vão parecer folgados nem restringir seus movimentos. Além disso, a perna da calça vai se estreitar até o calçado, criando um efeito de emagrecimento.
  • M (Médio) representa um corte tradicional, onde se tem um tamanho mais generoso para manter um conforto maior no corpo. Ao invés de ter um corte contornado, você verá que a cintura da jaqueta e a perna da calça têm um corte bem uniforme, sem muito afunilamento.
  • L (Longo) que se mantém com um comprimento maior no corpo, se tornando uma opção para pessoas de estaturas mais elevadas.
  • C (Curto) é o oposto do longo, tendo então um comprimento menor de corpo.

Sendo assim, uma numeração “38S”, seria um blazer de peito 38 com corte slim. Porém você também pode encontrar numerações com duas letras, como “40SL”, que seria um 40 slim e longo.

Como dar nó em uma gravata borboleta

Sabemos que cada acessório ajuda a contar sua história, e com a gravata borboleta não é diferente. Sabemos também que há algo de muito especial na gravata borboleta, que quando utilizada, é capaz de automaticamente transformar o visual, sendo um acessório com indiscutível marcador de classe, distinção e elegância.

8 passos para dar um nó de gravata borboleta perfeito.

Passo 1

Comece com a gravata borboleta virada para cima. Ajuste a gravata borboleta de forma que o lado direito seja mais curto que o esquerdo. O lado esquerdo será referida como A e o direito será referido como B.

Passo 2

Traga o lado A sobre B perto do pescoço para evitar que a gravata fique muito frouxa. Continue a trazer A para cima atrás de B, formando um nó simples e frouxo.

Passo 3

Na junta, dobre B para a direita e depois para a esquerda para criar a forma de arco.

Passo 4

Traga A diretamente para baixo no meio da forma de arco que foi feita com B.

Etapa 5

Dobre A de volta em direção ao peito e aperte a dobra.

Etapa 6

Deslize a extremidade longa agora dobrada através do laço atrás da peça horizontal (a extremidade dobrada entra primeiro). Passe suavemente e certifique-se de que o tecido não torce.

Etapa 7

Deslize o tecido pela metade sem puxá-lo muito para que fique uniforme em ambos os lados. Isso forma a metade posterior do arco.

Etapa 8

Quando estiver satisfeito com a uniformidade, puxe firmemente cada extremidade dobrada. Isso garantirá o nó.

Você provavelmente notará que um lado não combina perfeitamente com o outro. Isso faz parte do charme de uma gravata borboleta estilo livre e aumenta seu caráter

Agora você já estará pronto para desfrutar de todo o estilo e classe que uma gravata borboleta pode proporcionar, mas caso não queira passar por todo esse processo, você pode optar por comprar uma gravata borboleta com nó pronto.

Confira também todas as gravatas disponíveis em nossa loja clicando aqui

A importância de se vestir bem mesmo trabalhando em casa

Trabalhar em casa se tornou o novo normal para muitos de nós nestes últimos meses. E por conta do isolamento social, muitas empresas estabeleceram uma rotina de trabalho em casa.

A ideia de passar o dia trabalhando no sofá de pijama pode parecer tentadora, porém essa abordagem pode ter um impacto negativo em nossa produtividade e saúde mental.

Para te ajudar a entender mais sobre o assunto, vamos mostrar os dois principais motivos do porquê você deve se vestir bem, mesmo trabalhando em casa.

Diferencia a vida profissional da vida pessoal

Vestir-se bem durante o horário de expediente te ajuda a diferenciar a vida profissional da vida pessoal.

Existem muitos relatos de pessoas que dizem que ao trabalhar em casa, acabam trabalhando muito mais do que quando trabalham presencialmente. Outras dizem que sentem muita dificuldade de concentração trabalhando em casa, diminuindo a produtividade. E acredite, a solução para ambos os casos pode estar na forma que você se veste.

Trabalhando em casa, é comum que algumas pessoas sintam o impulso de vestir a roupa mais confortável que possui, até mesmo ficar de pijama. Esse é um grande erro, pois é necessário haver uma diferença física entre o descanso e o trabalho para que seu cérebro entenda que este momento não é de relaxamento, e sim de atenção e concentração.

Se vestir bem durante o trabalho também ajudará seu cérebro a entender que quando você está utilizando seu traje de descanso, é realmente hora de descansar e se desligar do trabalho.

Gera produtividade

trabalhando em casa 3

A forma como nos vestimos tem grande impacto em nosso cérebro, e a postura profissional nos força a um modo de produtividade mais elevado. Esse é o motivo mais importante para se vestir adequadamente para trabalhar em casa.

Pode parecer bom trabalhar de pijama, mas é possível se vestir de forma profissional sem abrir mão do conforto, ajudando seu corpo e mente a gerar mais produtividade sem abrir mão do bem estar. A produtividade é a força vital para manter um estilo de vida de trabalho em casa e aumentar seu rendimento.

E você, como o trabalho em casa tem afetado sua rotina e produtividade? Deixe nos comentários seu relato e opinião!

 

Gostou do nosso conteúdo? Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de tudo que postamos!

Instagram

Facebook

LinkedIn

Como pregar um botão a mão de forma fácil e rápida

É muito comum que com o passar do tempo e uso de sua camisa ou calça, um ou outro botão acabe se soltando. Muitas pessoas acabam por deixar a peça de lado, deixando de utiliza-la. Por conta disso, viemos ensinar você a como pregar o botão da sua camisa ou de sua calça a mão de forma fácil e rápida.

Primeiro, vamos ao que você vai precisar:

Ferramentas necessárias

  • Agulha – qualquer agulha de costura básica serve, quanto mais fina, melhor.
  • Linha – utilize um pedaço de linha com cerca de 24 centímetros da mesma cor da camisa.
  • Botão – utilize o original. Nossas camisas sempre acompanham botões extras que podem ser encontrados costurados na parte interna da frente inferior. Nota: alguns botões têm dois orifícios, outros têm quatro. O método que vamos apresentar aqui é para um botão de quatro orifícios, mas também pode ser adaptado para botões de dois orifícios.
  • Tesoura – servirá para cortar o excesso da linha quando finalizado.
  • Lápis – servirá para marcar o local onde o botão será pregado.

Como pregar o botão

Agora, confira as etapas para pregar o botão em sua camisa:

Etapa 1: Passe a agulha e dê um nó na extremidade
Deslize a linha pelo buraco da agulha e dobre-a até que você tenha quantidades iguais de cada lado. quando o nó estiver atado, ele será usado como âncora para impedir que o fio se solte.

enfiar a agulha com linha branca fechar o botão de costura

Etapa 2: Localize o local onde ficará o botão e comece a pregar
Você pode utilizar um lápis para fazer um leve ponto onde ficará o botão para ter referência. Vire o tecido ao lado avesso de onde ficará o botão e insira a agulha enquanto pressiona o botão no lado correto.

How to Sew a Button on a Coat or Jacket

Traga a agulha de volta para baixo através de um orifício oposto. Repita seis vezes com os mesmos dois orifícios. Passe para o próximo par, formando um sinal de igual. (Se os orifícios nos outros botões da peça de roupa estiverem emparelhados em um padrão X, combine-o.)

How to Sew a Button on a Shirt

Etapa 3: Finalize com um nó no lado avesso
Faça um nó seguro, passando a agulha diretamente pelos pontos do lado oposto do tecido. Puxe a linha, mas pare rapidamente para formar um laço. Insira a agulha no laço e puxe-a com força. Repita mais algumas vezes.

How to Sew a Button on a Shirt

Ficou com dúvidas? Então confira o vídeo que produzimos em nossa oficina para te ajudar a visualizar todo o processo. Você verá com realmente é simples:

Com o botão da calça, antes do nó final é necessário “enrolar” o botão com a linha, e logo em seguida finalizar com o nó. Confira nesse vídeo que produzimos:

 

 

Gostou da dica? Siga nossas redes sociais e veja mais!

Instagram

Facebook

LinkedIn

YouTube

Sapato Oxford ou Derby? Qual a diferença?

Certamente você já deve ter ouvido falar em algum destes termos quando se refere a um sapato. Mas você conhece a diferença?

Frequentemente recebemos perguntas a respeito do sapato Derby e do sapato Oxford, bem como em qual situação é mais aconselhado o uso de cada um destes modelos. Sendo assim, aqui vai uma breve explicação:

 

Oxford ou Derby?
Oxford é um tipo de sapato com amarração fechada que possui a furação do cadarço no próprio corpo do sapato. Observe a imagem abaixo:

O sapato Oxford possui um visual mais clássico e é recomendado para eventos que demandam looks mais elegantes e sofisticados. Como os furos do cadarço estão no próprio corpo do sapato, ele não é recomendado para pessoas que tenham o peito do pé muito alto, pois podem não se adaptar muito com o formato do pé, causando desconforto.

 

Já o Derby possui uma amarração aberta, com os furos do cadarço são feitos em um sistema open lacing, que são abas laterais costuradas no corpo do calçado. Veja na imagem abaixo:

Esse modelo de sapato é considerado mais casual e pode ser usado no dia a dia com looks menos formais. É também mais indicado para pessoas com pés mais largos ou com o peito do pé altos, pois é possível fazer o ajuste com o cadarço mais facilmente.

 

Muitas pessoas confundem Oxford com Brogue. Porém o chamado “Brogue” são os furos decorativos que servem como ornamento no sapato. Sendo assim, um sapato pode ser considerado Oxford Brogue ou Derby Brogue.

Oxford Brogue:

 Derby Brogue

 

História do Oxford
Existem várias teorias sobre como surgiu o sapato Oxford. Uma dessas teorias é que esse estilo evoluiu de um estilo popular de bota com fendas laterais. A fenda lateral evoluiu para um laço lateral que acabou se movendo para o topo do sapato. Esse estilo de sapato se tornou popular entre os estudantes da Universidade de Oxford, que começaram a se rebelar contra as botas tradicionais da época. No entanto, existe uma segunda teoria e é que o sapato se originou no Castelo de Balmoral, na Escócia, onde ficou conhecido como sapato de Balmoral. Nos EUA, os sapatos Oxford ainda são chamados de sapatos Balmoral ou Bals, para abreviar. Na França, os Oxfords são mais conhecidos pelo nome Richelieu.

 

História do Derby
O sapato Derby surgiu na década de 1850 como uma bota esportiva e de caça. No entanto, na virada do século 20, o sapato Derby tornou-se apropriado para uso por cavalheiros em toda a cidade. Os sapatos Derby com sua seção de cadarço aberto permitem um ajuste muito mais versátil, pois o sapato pode ser ajustado para ser tão apertado ou solto quanto o usuário achar confortável e, portanto, um sapato Derby provavelmente se encaixará em uma variedade maior de formas de pés.

 

História do Brogue
O brogue surgiu na região da Escócia e Irlanda. Tradicionalmente, eram considerados calçados para atividades ao ar livre ou campestres, não apropriados para ocasiões casuais ou de negócios. Os pequenos orifícios no brogue original serviam para que a água escorresse dos sapatos quando o usuário passasse por terrenos molhados, como um pântano. Era utilizado um couro especial fabricado especialmente para este tipo de calçado, que passava pelo processo de perfuração e cortes (chamdo de broguing) e o objetivo era garantir o resultado esperado: que a água fosse, de fato, “drenada” do sapato.
Hoje em dia, o estilo brogue está em diversos calçados formais. Seu uso se destina para diversas ocasiões e seus furos se tornaram apenas decorativos.

 

Gostou do assunto? Visite nosso perfil no Instagram e fique por dentro de dicas e novidades sobre a Augusto Camiseiro. Acesse clicando aqui!

Como sua camisa pode durar 10 anos ou mais?

Há um tempo atrás, postamos em nosso Instagram (@augustocamiseiro) uma camisa feita em 2005 trazida por um de nossos clientes. Muita gente ficou curiosa, pois o estado da camisa estava impecável. Veja abaixo algumas fotos da camisa:
É óbvio que não é normal uma camisa durar 10 ou 15 anos, e nos causa um imenso prazer ver uma peça com essa ” idade”. É evidente que para durar todo este tempo o cliente cuidou da camisa com o mesmo amor que usamos em sua produção.
Mas agora, qual é o segredo?
  1. Usar tecidos e aviamentos de primeira.
    A qualidade do tecido e da matéria prima utilizada influencia diretamente na vida útil da sua camisa.
  2. Lavar e passar tomando todos cuidados que recomendamos.
    Um dos pontos mais importantes a se considerar no momento de lavar sua camisa, é sempre utilizar água fria, pois a água quente pode fazer com que o tecido encolha. Lembre-se também de levantar a gola e retirar as barbatanas do colarinho antes de lavar.
    Evite secadoras, prefira uma secagem natural para que o calor artificial não prejudique sua camisa.
    Quando for passar, recomendamos também utilizar um borrifador de água para umedecer o tecido, facilitando todo o processo de passadoria. Mais dicas de como passar sua camisa você encontra neste post.
  3. E agora, a cereja do bolo: usar nosso serviço de troca de colarinho e punhos.
    E aqui vai um pequeno manifesto contra uma tendência de moda dos últimos anos: a fast fashion.  Uma tendência onde as marcas aceleram lançamentos em cima de lançamentos em busca de um consumo desenfreado. Está em nosso DNA fabricar peças que durem o máximo possível e, mesmo depois de gastas pelo uso, podem ser recicladas com esse serviço de troca de colarinho e punhos (inclusive, mantemos retalhos antigos e variados de tecidos para tentar deixar a troca imperceptível).Neste processo, é retirado o colarinho ou o punho danificado:
    E costurado um novo no lugar.
    Às vezes não se consegue por diversas razões, mas sempre tentamos. Queremos o consumo responsável e consciente, a preservação dos recursos naturais e a satisfação dos nossos clientes. Até brincamos que a camisa melhora com o uso e as sucessivas lavagens. Então, quando está boa você vai jogar fora?